sábado, 11 de abril de 2015

Dos 74 países com base militar dos EUA, Alemanha se destaca com 179 bases

Os EUA possuem bases em pelo menos 74 países e tropas praticamente em todo o mundo - é um imperialismo global que rotineiramente intervém em assuntos de outros Estados usando a força

Em 24 de março, o presidente estadunidense Barack Obama anunciou que todas as 9.800 tropas estadunidenses atualmente estacionadas no Afeganistão permanecerão lá até o fim de 2015. Isso gerou grande crítica: foi, depois de tudo, a promessa de Obama que a última tropa americana deixaria o país em 2014.

A fins de comparação, a Rússia tem apenas 10 bases no exterior
Aqueles que esperam que os EUA deixarão o Afeganistão, entretanto, deveriam parar um minuto para considerar isto: os EUA ainda não deixaram a Alemanha. De fato, há poucos lugares que os EUA não deixaram, e enquanto certamente a maioria deles não impõem uma ameaça aos soldados americanos, eles revelam um padrão sobre a estada dos EUA, mais que ir embora.

De acordo com informação oficial providenciada pelo Departamento de Defesa (DoD) e seu Centro de Informação de Defesa (CMDC) há ainda em torno de 40.000 tropas americanas e 179 bases americanas só na Alemanha, mais de 50.000 tropas no Japão (e 109 bases), e dezenas de milhares de tropas, com centenas de bases, em toda a Europa.

Mais de 28.000 tropas americanas estão presentes em 85 bases só na Coréia do Sul, e estão lá desde 1957.

Ao todo, baseado em informação contida no último relatório da estrutura de base (BSR) do DoD, os EUA têm bases em pelo menos 74 países e tropas em praticamente todo o mundo, variando de milhares a apenas um em alguns países (um adido, por exemplo).

A fins de comparação, a França tem bases em 10 países, e o Reino Unido em 7.

Calcular a extensão da presença militar dos EUA não é uma tarefa fácil. A informação providenciada pelo Departamento de Defesa é incompleta, e se encontram inconsistências nos documentos. Quartz pediu esclarecimento do Departamento de Defesa, mas não recebeu resposta.

Em seu livro Base Nation: How US Military Bases Abroad Harm America and the World, David Vine, professor associado de antropologia na Universidade Americana, detalha as dificuldades para acessar os dados da presença militar dos EUA no exterior. Ele escreve:

"De acordo com a contagem publicada mais recentemente, os militares dos EUA ocupam ainda 686 "sítios base" nos 50 estados e Washington, DC.

Enquanto 686 sítios-base são uma simples figura em seu próprio direito, essa talha fortemente exclui muitas bases dos EUA bem conhecidas, como as em Kosovo, Kuwait e Qatar. Menos surpreendentemente, a contagem do Pentágono também exclui bases secretas, como aquelas em Israel e Arábia Saudita. Há tantas bases que o próprio Pentágono desconhece o número total."

Isso não é o único problema - até uma contagem definitiva de bases incluiria uma ampla variedade de facilidades. "Base" em si é um termo guarda-chuva que inclui locais como "postos", "estações", "campos", "fortes". Vine explica:

"As bases são de todos os tamanhos e formas, desde sítios massivos na Alemanha e no Japão até pequenos radares em Peru e Porto Rico. [...] Até resorts militares e áreas de recreação em locais como a Toscana e Seul são um tipo de base; em torno do mundo, os militares têm mais de 170 pistas de golfe."

O mapa abaixo representa as bases no exterior, de acordo com a contagem da BSR, e de pesquisas independentes conduzidas por Vine (e Quartz) usando notícias verificadas assim como informação cruzada com o Google Maps. Este mapa não toma em conta as bases da OTAN, incluindo uma no Turcomenistão e na Algéria, publicado por Wikileaks por ser uma base só dos EUA.

A maioria dos países parecem ter uma concentração pequena de bases dos EUA (abaixo 10). Comparado com as 179 na Alemanha, 37 em Porto Rico, 58 na Itália. O maior índice de militares permanece em países que os EUA invadiram na Segunda Guerra Mundial, enquanto sua presença em áreas de contenção mais recente, como o Oriente Médio, são um tanto reduzidas, pelo menos em termos de número de base.

Tem sido notado pelos comentadores antes que não todas as bases são de tamanho significantes. No entanto, dadas as informações disponíveis é difícil de realmente calcular o tamanho das diferentes instalações. Vine escreve:

"O Pentágono diz que são apenas 64 'instalações maiores' pelo mar e que a maioria de suas bases são 'instalações pequenas ou em locais pequenos'. Mas define 'pequeno' como tendo um valor acima de US$ 915 milhões. Em outras palavras, pequeno não é tão pequeno assim."

A informação sobre tropas no exterior, também, é incompleta, que torna difícil de saber a verdadeira extensão do contingente militar americano. O analista de forças armadas de IHS Jane, Dylan Lehrke, contou ao Quartz que é difícil até mesmo de localizar em definição a presença militar - para o governo, isso significa bases ou tropas desenvolvidas, embora pareçam aceitáveis de incluir outras formas de presença:

"Com certeza pode-se dizer que os EUA têm presença militar na Síria no momento. Eles podem não ter bases e tropas no chão, mas devemos incluir a força aérea. Os militares dos EUA indiscutivelmente têm mais presença na Síria do que na Alemanha [...]. Levando essa ideia adiante, seria também racional dizer que os EUA têm presença militar onde utiliza veículos não tripulados para destruir alvos."

Todos os países que têm alguma soma de presença militar americana - desde um adido militar até as tropas envolvidas no Iraque e no Afeganistão - estão em destaques pelo mundo (a Rússia inclusive, onde as publicações do DoD dizem ter 24 militares).

Levando em conta uma presença militar considerável, existência de bases, e se os EUA conduzem drones (Yemen, Síria, Paquistão) em um país resulta em representação geográfica do poder militar dos EUA no exterior, conforme abaixo:

via russiainsider

13 comentários:

  1. Avante "eixo da resistência" !!!
    China, Rússia, Iran, Síria, e alguns países mais.
    Vamos parar a agressão dos US aos que não seguem sua cartilha...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fica quieto na Sua e Estados Unidos mano e niguem pode com essa super potencia econômica só Deus.

      Excluir
    2. E VOU DESTRUIR TOTALMENTE E FAZER DESAPARECER PARA SEMPRE "eua"

      Excluir
  2. Tudo é uma questão de ciclo, muitas nações dominaram o mundo, mas um dia sua dominação acabou! Foi assim com os Babilônios, Sumérios, Egipcios, Gregos, Romanos, Franceses, Igleses, Alemãs, assim será com os Américanos, um dia vão ser dominados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Sim, Fernando! Os Estados Unidos serão substituídos como potência mundial. Sabe por quem? O Reino de Deus, o mesmo que pedimos na oração modelo que Jesus ensinou seus seguidores em Mateus 6:10. Em Daniel 2:44, dá fortes evidências de que quando está potência dupla anglo-americana (Grã-Bretanha - O país que mais rege nações no mundo político - e os Estados Unidos, o país mais rico e poderoso econômico e militarmente desde 1914) estivesse em operação no mundo, o fim deste sistema chegará e eliminará todos os governos humanos para sempre. Em breve. nenhum país será dominado por outro, pois o Reino de Deus que governará a Terra prevalecerá por toda a eternidade."

      Excluir
  3. EUA sempre será a maior potência do mundo , economia e militar!!o jeito é aceita mesmo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. AS MAIORES . MELHORES E ÚNICAS REAIS SUPERPOTÊNCIAS ECONÓMICO-MILITARES SÃO SÓ INDIA E CHINA E O RESTO É CONVERSA PARA ASSUSTAR E VENDER E É TUDO MENTIRA . SEMPRE FOI ASSIM SEMPRE SERÁ ASSIM TAL COMO É . A VERDADE MAGOA ACEITA QUE DÓI MENOS . REALMENTE VOCÊS OCIDENTAIS ANDA SABEM E VIVEM ILUDIDOS ENGANADOS E ESTUPIDECIDOS E GOSTAM DE ESTAR NA FICÇÃO FANTASIA E ILUSÃO DAS MENTIRAS

      Excluir
  4. É FAVOR ACORDAR E DEIXAREM DE SER ANÕES TODOS OS OCIDENTAIS ZOMBIES MORTOS - MORTOS OBCECADOS FANÁTICOS E DOENTIOS DOENTES COM AS MENTIRAS DE "eua" "uk" TODO O OCIDENTE LUDIBRIADOS

    ResponderExcluir
  5. MAIS MENTIRAS MAIS PALHAÇADA OCIDENTAL
    SÓ PURAS MENTIRAS
    VOU CASTIGAR SEVERAMENTE TODOS OS MORTAIS PECADORES SOBRETUDO OS OCIDENTAIS TODOS
    QUE PALHAÇADA EH EH EH

    ResponderExcluir
  6. MAS QUE VERGONHA COMO SEMPRE DE ARTIGOS ( E VÍDEOS QUANDO SÃO E "NOTÍCIAS" ) OCIDENTAIS . TODOS ENVENENADOS E EMBASBACADOS COM O LIXO E O MAIS POBRE E MAIS FRACO DO MUNDO INTEIRO CHAMADO DE "PLANETA TERRA" O IMPOTENTE "eua" . NUNCA FOI "eua", E MUITO MENOS SOZINHO , MAS SIM A ALIANÇA DO EIXO /AXIS DO MAL DA "onu" EM QUE "eua" É APENAS UMA FICÇÃO INTEGRANTE DA FICÇÃO DESSE EIXO DA FICÇÃO "onu/nato" . RÚSSIA É O QUE SE ENCONTRA NA FRENTE LIDERANDO ESSA ALIANÇA DO MAL DEPOIS TEMOS "eua" "uk" "france" "italy" "spain" "germany" "japan" "australia" "canada" "nz" TODA A "AMERICA" TODA A "EUROPA" E MAIS UNS RESTOS DE ENVENENADOS DE BOLSAS MUITO PEQUENAS E RIDÍCULAS INSIGNIFICANTES DE UMAS ILHAS E "ILHAS"/PARTES ISOLADAS E ERMAS DO "PLANETA" /DE CERTOS "PAÍSES" ENFIM TUDO RIDICULARIAS RESUMINDO .

    ResponderExcluir
  7. E QUE TAL SE QUEM PUBLICA ESTES ARTIGOS E TODOS OS OCIDENTAIS DEIXASSEM DE SER PALHAÇOS IMBECIS INFANTIS IMATUROS E EMBASBACADOS OBCECADOS
    PARA MIM SEMPRE SOMENTE COM TODO O RESPEITO TODA A EDUCAÇÃO E TODO O DIÁLOGO

    ResponderExcluir
  8. "Fernando Albuquerque tem razão! Os Estados Unidos serão substituídos como potência mundial. Sabe por quem? O Reino de Deus - o mesmo que pedimos na oração modelo que Jesus ensinou seus seguidores em Mateus 6:10. Em Daniel 2:44, dá fortes evidências de que quando esta potência dupla anglo-americana (a Grã-Bretanha e os Estados Unidos) estivesse em operação no mundo, o fim deste sistema chegará e eliminará todos os governos humanos para sempre. Em breve, não haverá nenhuma potência mundial humana dominante, pois o Reino de Deus, que governará a Terra prevalecerá por toda a eternidade."

    ResponderExcluir